Fique por dentro Publicações impressas ainda são relevantes

Esta é uma dúvida recorrente de muitos profissionais de comunicação: ainda vale a pena, na Era Digital, investir em publicações impressas? E a resposta é simples. Vale, dependendo, principalmente, da estratégia de comunicação e do público-alvo.

Quando falamos em publicações impressas, entenda como ação de Marketing Offline. O que é isso? Basicamente, é qualquer ação de comunicação e marketing que não demanda internet para o público-alvo ter contato. Inclui, entre outras mídias, rádios, TVs, outdoors, brindes, telemarketing, publicações impressas de todos os tipos. Jornais, revistas, cartões de visita, folders e até aquele folheto da pizzaria que colocaram na sua caixa de correio ou debaixo da porta.

Neste artigo, como o próprio título sugere, vamos focar no segmento de publicações impressas. Para o que elas servem? Por que investir no formato, se é possível gastar menos na comunicação digital?

Ao contrário do que muitos afirmam, o impresso não morreu. Ele perdeu força, perdeu espaço para o digital, mas ainda é uma ferramenta de comunicação importante para determinadas marcas ou em ocasiões especiais.

POR QUE NÃO MORREU?
Existem várias respostas para essa pergunta. Uma delas é: tudo depende da sua audiência. Pode ser que você não leia mais publicações impressas. Dependendo da sua idade, talvez não tenha este hábito, considerado saudável para gerações anteriores. Mas saiba que há muitos leitores por aí, independentemente da geração, que fazem questão da mídia impressa.

Outro motivo? Para uma fábrica ou construtora, com centenas ou milhares de operários que não trabalham na frente de uma tela, o jornal impresso pode ser a forma mais eficiente de comunicação com eles. É uma publicação direta, simples e, se for bem elaborada, o funcionário pode levá-la para casa e compartilhar com a família.

Ainda no mundo corporativo, materiais impressos de boa qualidade são excelentes registros de datas especiais, como aniversário da empresa ou comemorações de marcos importantes.

Mais um? Dentro do marketing, muitas vezes, uma maneira de ser notado é fazer algo diferente. Todos nós recebemos, diariamente, em nossos e-mails, dezenas de newsletters e outros tipos de mensagens digitais. Este artigo, inclusive. Muitas delas nem chegam, pois ficam presas na pasta de spam, não é verdade? Nesse caso, a publicação impressa pode ser utilizada como diferencial.

Além disso, existem situações específicas, nas quais a decisão pelo impresso é estratégica. É o caso de feiras e outros eventos corporativos, onde as marcas expõem produtos e serviços para potenciais clientes. Quando a pandemia for controlada, voltaremos a ter eventos presenciais, e a mídia impressa terá lugar garantido em grande parte dos estandes.

Tem mais. Segundo a pesquisa “Tendências do Consumidor em Supermercados 2018/2019”, da Associação Paulista de Supermercados (APAS), 56% dos entrevistados preferem os jornais impressos e os tradicionais folhetos para pesquisar preços.

ON & OFF
Outro aspecto interessante é que o digital e o impresso podem conviver harmoniosamente. A própria tecnologia proporciona mais modernidade e interatividade a alguns veículos impressos. É a integração do marketing on com o marketing offline.

É o caso do código QR / QR code, que ganhou mais relevância no último ano, devido à pandemia. A criação de cardápios digitais nos restaurantes é um dos exemplos. Em muitos estabelecimentos, os clientes não precisam mais pegar o cardápio nas mãos. Basta apontar o celular para o QR. E onde está o código? Impresso, sobre cada mesa.

Alguns jornais e revistas também adotaram o QR code, que proporciona o acesso a conteúdos complementares à matéria impressa ou a anúncios.



Diante do exposto, reforçamos a orientação de sempre. Uma comunicação de excelência, que alcance todos os públicos de interesse, promova atração, engajamento, fidelização, interação e, também, gere negócios, precisa ser planejada estrategicamente, com objetivos bem definidos.

Mais recentes