Fique por dentro Quando, como e por que impulsionar nas redes sociais?

Se você cuida do Marketing Digital da empresa, já deve ter enfrentado o dilema: quando devo impulsionar nas redes sociais? Por quanto? O que vou ganhar com este investimento? São questões válidas, que muitos usuários compartilham.

Vamos primeiro explicar, para quem ainda não sabe, o que significa “impulsionar nas redes sociais”. Sempre que você publica um conteúdo, em qualquer rede social (Facebook, Instagram ou LinkedIn, por exemplo), sem pagar nada, você está apostando no alcance orgânico da sua página e na qualidade e capacidade da sua publicação se destacar.

Alcance orgânico é o alcance gratuito
Acontece que, nos últimos anos, em todas as redes sociais, o alcance orgânico vem despencando, e por diversos motivos. Desde a estratégia do Facebook de incentivar os usuários a pagarem para obter mais visibilidade, ao fato de existir um número expressivo de páginas corporativas nas redes.

Quando impulsionar nas redes sociais, você pagará ao Facebook, dono também do Instagram, para mostrar o seu conteúdo para mais pessoas, expandindo, consideravelmente, o público-alvo.

IMPULSIONAR NAS REDES SOCIAIS AUMENTA A AUDIÊNCIA 

Além de aumentar a audiência, ao impulsionar o conteúdo, você pode traçar o perfil do público que quer engajar, definindo características como gênero, idade, localização, hobbies, formação educacional, renda, acontecimentos recentes vividos pela pessoa (como casamento ou mudança de endereço), status de relacionamento, setor profissional e até empregador e cargo (caso a empresa e o cargo que você busca estejam cadastrados nas redes). Com isso, ultrapassa-se a fronteira de impactar apenas quem curte a página da empresa, alcançando outro patamar.

Como fazer?
Para impulsionar nas redes sociais, o primeiro passo é configurar o objetivo da empresa. O Facebook e o Instagram perguntam quais resultados você quer obter com o impulsionamento e oferece seis opções:

Automático – o próprio Facebook seleciona a melhor meta, com base nas suas configurações;
Obter mais visitantes para o site;
Receber mais mensagens;
Obter mais engajamentos – o anúncio é enviado para pessoas com maior probabilidade de curtir, comentar e compartilhar seu conteúdo;
Obter mais cadastros – caso você esteja impulsionando um formulário; e
Receber mais ligações telefônicas.

Todas essas questões aparecem quando você aperta aquele botão azul “Turbinar” no Facebook. No Instagram, é o botão “Promover”, abaixo do post.

A próxima etapa é definir o perfil do público, dentro das opções oferecidas:

Localização: é possível indicar mais de uma região;
Interesses: existe uma variedade imensa de opções. Ao digitar “carro”, por exemplo, surgem, além da palavra “carro”, sugestões de temas relacionados, como “aluguel de carros”, entre muitos outros;
Idade e gênero dos usuários.

Nas duas redes, o impulsionamento mínimo atual é de R$ 6,00. Quantia pequena que pode gerar um bom volume de visualizações. Tanto no Facebook como no Instagram, o desafio é aproveitar ao máximo o investimento. O que significa ter estratégia e planejamento consistentes.

VOLTANDO ÀS PERGUNTAS INICIAIS

Quando devo impulsionar nas redes sociais?
Basicamente, quando a marca quer obter maior reconhecimento e exposição. O impulsionamento procura tornar suas publicações mais impactantes, aumentando o alcance.

É uma estratégia mais empregada por quem está querendo, por exemplo, se posicionar dentro do seu segmento de mercado, se tornar uma autoridade na área. Nesse caso, conteúdos direcionados a um público muito bem definido serão mais eficazes.

Quanto devo investir?
Isso depende do budget e do objetivo da empresa. Faça algumas experiências para conhecer, na prática, como os valores influenciam na sua audiência. Mas lembre-se: isso não é uma ciência exata.

Dois posts diferentes, impulsionados pelo mesmo valor, não terão o mesmo desempenho. A qualidade do conteúdo, texto e foto, e a adequação do público escolhido são determinantes para o comportamento de cada post. E nem sempre ter mais visibilidade significa que o post teve mais sucesso. No outro, com menor audiência, você pode ter definido um público muito mais específico, qualificado e realmente envolvido com o seu trabalho, por exemplo.

Mas isso não é tudo.

GERENCIADOR DE ANÚNCIOS TRAZ MAIS RECURSOS PARA ESTE TRABALHO 

Até agora, falamos sobre a maneira mais fácil de impulsionar nas redes sociais. Há, porém, a possibilidade de efetuar o impulsionamento por meio do Facebook Ads, o gerenciador de anúncios da plataforma, que oferece mais recursos. Ele permite, por exemplo, segmentar ainda mais o público e, consequentemente, incrementar os resultados.

É no Gerenciador de Anúncios que o gestor da rede social tem acesso, também, a outro recurso precioso dentro do Marketing Digital: a criação de anúncios ou campanhas. Os anúncios não vão aparecer na linha do tempo da sua página e, sim, em outras áreas de exposição da rede social. Em geral, o anúncio tem como objetivo vender ou obter conversões.

Muitos se confundem e não sabem o que é melhor: impulsionar o post ou criar um anúncio? Como foi explicado, cada um tem seu objetivo.

Por exemplo: se é uma marca nova no mercado, no primeiro momento, talvez seja mais interessante apenas impulsionar publicações, para atrair audiência para o perfil, estimulando os visitantes a interagirem com a publicação por meio de curtidas, comentários ou compartilhamentos.

Os anúncios podem ser utilizados num segundo momento, dentro da estratégia de comunicação.

Tem outro ponto importante: as possibilidades de segmentação do público são maiores para os anúncios do que para os impulsionamentos.

Por fim, vale lembrar que um dos princípios do Marketing Digital é o monitoramento em tempo real de qualquer campanha paga. É essencial ficar atento aos resultados de anúncios e impulsionamentos, observando o que funciona e o que não funciona para cada caso, sempre considerando os objetivos da marca.

Em uma campanha de Marketing Digital, o ideal é combinar as duas estratégias – impulsionamento e anúncio, aumentando as chances de a empresa se destacar nas plataformas.

Anúncios no LinkedIn
Isso vale para o LinkedIn, que apresenta alguns diferenciais em relação ao Facebook, como um orçamento mínimo de R$ 20,00 por dia. O Linkedin Ads oferece uma segmentação poderosa, focado em negócios B2B, e uma infinidade de formatos.

Você pode, por exemplo, filtrar o público de acordo com fatores profissionais, como o cargo ocupado, a empresa em que trabalha a pessoa, o setor de atuação, o nível de experiência ou a formação acadêmica. Além disso, estão disponíveis características demográficas, como faixa etária, sexo e localização do profissional e até os interesses da audiência.

Agora que aprendeu um pouco mais sobre impulsionamento nas redes sociais, você tem condições de decidir o que é melhor para a sua empresa neste momento.

Mais recentes