Fique por dentro Você sabe o que é SEO?

SEO é a sigla de Search Engine Optimization. Em português, Otimização para Mecanismos de Buscas. Na prática, conjunto de técnicas que visam posicionar um conteúdo entre os melhores resultados orgânicos dos buscadores, especialmente o Google, utilizado por 97% dos brasileiros. É com o uso dessas técnicas que as ferramentas de pesquisa localizam, com mais facilidade, o assunto desejado. São mais de 100 bilhões de buscas globais no Google, por mês, o que confirma a relevância do SEO.

Com o SEO, o site inteiro pode ser otimizado para se destacar nos resultados orgânicos, mas nosso foco é o blog, tema que abordamos no artigo “Toda empresa precisa ter um blog?”. Isso, porque as ferramentas de buscas não avaliam textos curtos, como os encontrados em outras seções do site, a exemplo do “Quem Somos”.

Embora o Google não revele quais são os fatores mais importantes para os algoritmos de rastreamento e indexação, sabemos que são mais de 200, e que o tamanho do conteúdo é um deles. Para ser indexado corretamente no Google, o texto deverá ter mais de 300 palavras. Quando não observamos esse requisito, a qualidade do SEO é baixa. Alguns especialistas defendem que o tamanho mínimo ideal é entre 400 e 600 palavras. Se for maior, melhor. Este artigo tem 928.

Quando falamos em conjunto de técnicas, podemos dividir o trabalho em duas partes.

√ Produzir conteúdo com técnicas de SEO.
√ Realizar uma série de configurações no site.

Conteúdo

Além do tamanho mínimo, um texto produzido com técnicas de SEO precisa contar com uma palavra-chave para ser localizado pelo Google. E a escolha não é tão simples como parece.

Num texto sobre curso de redação para executivos, por exemplo, a tendência seria escolher a expressão “curso de redação”. Existem ferramentas gratuitas na Internet que ajudam o produtor de conteúdo a escolher a palavra-chave ideal.

No nosso exemplo, “curso de redação” tem concorrência muito grande, dificultando o bom posicionamento. Com uma pequena variação, especificando ainda mais, como “curso de redação empresarial”, o resultado será melhor. De 64,2 milhões reduziu para 21,1 milhões.

Também existem os locais certos e a quantidade de vezes que a palavra-chave deve ser repetida ao longo do texto. É um trabalho meticuloso, que precisa ser realizado por profissionais de comunicação.

Há outros pontos importantes na produção de conteúdo com técnicas de SEO.

√ Ineditismo — o Google tem como saber se o texto é cópia de outro já indexado, e pode até punir o plagiador.

√ Qualidade — mas como a ferramenta avalia a qualidade? Uma das maneiras é pelo tempo de leitura. O Google entende que se os usuários ficam bastante tempo lendo o conteúdo, ele tem valor, o que reflete em melhores resultados.

A inclusão de vídeos é outra estratégia que pode prender a atenção dos internautas por mais tempo. Mas, detalhe, vídeos carregados diretamente na sua página, não links de vídeos publicados em outros sites.

O Google também valoriza a inclusão de links internos e externos no texto. Links internos levam a outras áreas do seu site, o que, consequentemente, significa mais tempo de navegação. O externos proporcionam uma experiência mais completa ao internauta. Nesse caso, é importante configurar o site para que o link seja aberto em nova aba, mas sem tirar o leitor do seu site. Ao terminar de ler e fechar, sua página estará lá, aberta e pronta para que o leitor continue a jornada nela.

Quem vai trabalhar com SEO deve ter como meta aparecer na primeira página da busca. As estatísticas explicam. Cerca de 80% dos brasileiros que pesquisam pelo Google não passam da primeira página. Os outros 20% não chegam à quarta. Então, ranquear em 10º ou 20º lugar, por exemplo, é a mesma coisa: não vai gerar tráfego algum para o seu site.

Configurações do site

Vamos à segunda parte das técnicas, sobre as configurações do site. A concorrência por melhor ranqueamento nas ferramentas de busca aumenta a cada dia, o que dificulta ainda mais o bom posicionamento orgânico. E o Google trabalha constantemente para melhorar as táticas de indexação.

As últimas atualizações focaram no mobile, passando a considerar a responsividade como diferencial. Logo, sites responsivos — que funcionam bem tanto nos aparelhos fixos como nos móveis — se posicionam melhor no Google.

Você já ouviu falar de autoridade de domínio? É outro ponto importante analisado pelo Google. É uma mescla entre o tempo de existência do site e a relevância do conteúdo. Por isso, quando iniciar um trabalho de SEO, tenha em mente que são necessários paciência e consistência para conseguir os resultados desejados.

O desempenho do site, ou melhor, o tempo que ele demora para abrir também é valorizado. Se demandar mais de dois segundos, poderá ser punido. Nesse caso, procure um programador ou web designer para investigar e resolver o motivo da lentidão.

A publicação de fotos de altíssima resolução, por exemplo, interfere. Apenas reduzir o tamanho das imagens pode melhorar, significativamente, a performance do site.

Existem diversas outras questões técnicas que devem ser consideradas, como o tamanho e forma dos links, a estrutura geral do site e a meta descrição — aquele textinho de poucas linhas sobre o site, quando são apresentados os resultados de busca. Esse texto deve ser definido por você. Do contrário, o próprio Google usará algum trecho da descrição, o que prejudica o ranqueamento.

Em alguns casos, se há muita urgência de resultados, o SEO não deve ser prioridade no investimento em comunicação. Há outras estratégias que trazem resultados mais rápidos, mas com custo superior. Por exemplo, uma campanha paga em redes sociais. Mas este é tema para outro artigo.

Mais recentes